Conecte-se com as pessoas que são importantes para sua vida!

Pare com o medo de se relacionar com as pessoas por achar que elas podem te abandonar!

Pare de desistir de algo importante porque tem medo de enfrentar as pessoas!

Saiba como se livrar desses sentimentos de rejeição e abandono, e levar uma vida plena e realizada!

Aprendemos ao longo do tempo, com os exemplos, que devemos ser “aceitos” por todos e parece que sempre queremos concordância de ideias com TUDO o que pensamos ou fazemos

Quando não há essa concordância, nos sentimos rejeitados e abandonados. Para muitos de nós, não nos foi ensinado que esse sentimento de rejeição e abandono foi iniciado lá na infância (de forma intencional ou não) e que não precisamos mais dele causando medo e empecilho para que usemos todo o nosso potencial.

Você quer namorar, mas tem problemas para se relacionar?

Você não consegue ter relações consistentes com a família, familiares, amigos ou companheiros?

Você evita ir a lugares e nem sabe o porquê?

Você se cobra excessivamente?

Você tem dificuldade de enfrentar uma situação ou um trabalho com o medo de ser rejeitado e mais para frente, abandonado?

Você tem medo de assumir sua sexualidade porque pode ser rejeitado?

Você não quer tentar começar algo novo com medo de rirem de você e acharem suas ideias ridículas?

Quando tem discussões com alguém (pai, mãe, namorado, irmãos) sempre está querendo ir embora?

Sempre que seu companheiro (a) discorda de você, já ameaça terminar tudo?

Você tem dificuldade de dizer não?

Você acha que não merece afeto e atenção?

Você acha que não é bom o suficiente para ser aceito no seu grupo social?

Você busca preencher o seu tempo vago com atividades que gerem prazer a curto prazo como games, álcool, drogas, pornografia, etc ?

Você fica buscando reconhecimento e carinho?

Você se sente ansioso e inseguro?

Se estou sendo - ou estou na iminência de ser - rejeitado é melhor eu terminar tudo ou nem tentar, antes de ser abandonado porque aí sim vai doer.

Podemos ter ideias diferentes das pessoas com quem convivemos e respeitá-las, assim como devemos ser respeitados por nossas ideias, sem que isso afete relacionamentos de quaisquer áreas, porque não somos iguais. Isso é o que faz haver sempre expectativas com novidades no que há por vir e empolgação com surpresas que podemos encontrar. Porque se fôssemos todos iguais não precisávamos esperar nada de diferente e o mundo seria sem graça. Mas, quando estamos expostos a mostrar nossas diferenças nos amedrontamos e vem o sentimento de rejeição e abandono que pode ser real - já termos sido rejeitados em gravidezes indesejadas, em processos de paternidade, relacionamentos amorosos.... – mas, também pode ser apenas uma sensação que não é real. Porém, ela está lá incomodando. E a todo momento você acredita que será rejeitado. Como você não quer sentir essa emoção de rejeição acompanhada de abandono você acaba se autossabotando e não desenvolvendo uma relação sadia com seu namorado, sua mãe, seu filho; também pode não realizar suas tarefas procrastinando-as ou mesmo não enfrentando reuniões de trabalho, apresentações públicas profissionais por não querer se deparar com esses sentimentos que te incomodam. Ficar engessado com essa situação nos faz ficar perdidos em nossa própria história e sem rumo certo.

Você pode mudar isso!!

Há um pensamento em você que causa uma emoção, que leva a uma ação e essa ação gera o resultado que está tendo aí na sua vida e que está te incomodando! Esse pensamento vem da sua programação mental!

Você é aquela pessoa que tem um vício que quer parar e não consegue; ou aquela pessoa que por mais que ganhe salários cada vez maiores sempre está endividado ou sem dinheiro; ou aquela pessoa que está sempre de dieta, insatisfeita com o seu peso; ou que sempre tem problemas em relacionamentos? É porque tudo isso foi programado no seu subconsciente lá na sua infância, com as vivências que passou.

Pensamento (evento) + emoção (reações fisiológicas) = PROGRAMAÇÃO (resultados)

Rejeição e abandono: sentimentos que podem te levar a uma baixa autoestima e também a vários outros problemas emocionais que, ignorados, desencadeiam comprometimento na sua saúde mental crises de ansiedade, isolamento, fobias, envolvimento com vícios e até mesmo depressão. A todo momento você não consegue realizar o que deseja por medo da rejeição e, muito pior, do abandono? Você vê seus amigos em relacionamentos amorosos e familiares nas redes sociais e se pergunta por que não acontece o mesmo com você? Você assiste seus conhecidos nos vídeos colocando suas ideias, às vezes polêmica, mas com toda a confiança de serem eles mesmos e vê que não tem coragem de falar com dois ou três amigos com receio deles não gostarem? Tudo isso nos gera angústia, frustração e pode levar a algo mais grave como a apatia pela vida ou à depressão. Sentimos como se não fôssemos ninguém. Com estudos realizados com exames de ressonância magnética, o psicólogo americano Guy Winch mostra, em seu livro “Emotional First Aid” que a dor da rejeição ativa no cérebro as mesmas áreas que a dor física. Ele comprovou nesse estudo que a dor do abandono gera a mesma sensação de um café quente caindo sobre alguma parte do corpo.

Em algum momento de nossas vidas todos nós já tivemos o sentimento de rejeição que pode ter sido real ou algo imaginário. O que não podemos é permitir que isso atinja nossos passos em direção aos nossos sonhos! O problema é quando tentamos nos proteger desse sentimento nos isolando, criamos um escudo de proteção emocional. Isso nos paralisa e nos impede de sermos quem gostaríamos e de enfrentar aquilo que é necessário para crescermos e passarmos dessa fase.

As pessoas estão com problemas, nossa sociedade está doente!

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), 3,3 milhões de pessoas morrem em consequência da bebida alcóolica em todo o mundo, responsável por 25% das mortes de pessoas entre 20 e 39 anos.

Estudo realizado pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) revela que 7,7% dos brasileiros de 12 a 65 anos já usaram maconha ao menos uma vez na vida. E que 3,1% já consumiram a cocaína em pó. O estudo foi publicado em 08/08/2019 e as entrevistas das 17 mil pessoas ocorreram em 2015.

O Brasil é o país com a maior taxa de pessoas com transtornos de ansiedade no mundo e o quinto em casos de depressão. Segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) 9,3% dos brasileiros têm algum transtorno de ansiedade e a depressão afeta 5,8% da população.

No total, transtornos mentais geram perdas de US$ 1 tri por ano para a economia global.

Segundo o Ministério da Saúde, a previsão orçamentária para a área de saúde mental em 2019 foi de 1,6 bilhão.

Para definir a hipnoterapia vamos falar sobre o que é a hipnose.

A hipnose é um estado natural da mente que acessamos quando estamos vendo um filme, lendo um livro e nos emocionamos.

A hipnoterapia acessa esse estado natural da mente e ressignifica traumas e eventos que incomodam a pessoa.

Quando somos crianças temos uma sensibilidade maior então, as emoções dos acontecimentos são muito mais fortes e marcantes que quando adultos. A interpretação quando somos criança também é diferente. Para nos proteger de acontecimentos que julga serem prejudiciais para nós, nossa mente subconsciente pode nos prejudicar com esses mecanismos de proteção.

Eventos semelhantes ou que têm alguma relação com o que já vivemos, ao se repetir, vai nos trazendo as mesmas emoções e, em determinado momento, o “copo transborda” e acabamos por desencadear sintomas emocionais graves ou até mesmo algumas doenças.

Por isso, a hipnoterapia é também sobre autoconhecimento!

Você vai descobrindo como funcionam suas emoções e o que elas podem causar (dependendo da situação) em seu corpo, na forma de respostas fisiológicas, avisando que algo aí dentro precisa ser olhado!

No caso da hipnoterapia, utilizamos a hipnose (que é uma sugestão– no caso a desejada – a ser substituída por outra na sua mente subconsciente - que te “protege/atrapalha”) para tratar suas emoções e as consequências que elas geraram.

Quando você assiste a um show de palco, a hipnose está sendo utilizada para fins de entretenimento. Ali vemos também o poder da mente mas, que é utilizada para outros fins: os participantes querem testar suas habilidades de se concentrarem e atenderem às sugestões que o hipnotista está dando como comer cebola achando que é maçã ou esquecer algum número ou o próprio nome. Ou seja, na hipnose de entretenimento a pessoa que está participando quer se divertir com aquelas sugestões.

Dúvidas sobre a Hipnoterapia

Vou ficar inconsciente?

Não, na hipnose você está muito mais alerta, pois está concentrado, atento a tudo que está acontecendo contigo. No seu dia a dia, está nesse estado em várias situações (assistindo notícias, por exemplo) e, ao fazer atividades nesse estado não está inconsciente, portanto, na hipnose também não estará. Então, na hipnose você aceitará somente as sugestões que você deseja. Além disso, lembre-se que no estado de hipnose a sugestão precisa atravessar o fator crítico, que está na mente consciente, para que ela chegue no subconsciente. Logo, há um “filtro” na mente CONSCIENTE que é analítica e racional e não aceitará nada que não seja lógico para você!

A hipnose é um poder?

Não, a hipnose depende 100% da sua vontade. Toda hipnose é uma auto-hipnose. Então, o poder, na realidade, está em você controlar a própria mente.

Vou revelar os meus segredos?

Como citado acima você estará muito alerta, portanto, não contará algo que não queira. Mas, se for essencial para resolver o seu problema, é importante que tenha confiança no hipnoterapeuta para se ajudar. Pense que todos têm problemas, você não é o único! Não deixe de se ajudar por não querer abrir suas dores! O hipnoterapeuta já viu tantas histórias e pôde ajudar quem se permitiu! Pense nisso!

E a minha religião?

A hipnoterapia é sobre saber lidar com suas emoções. É sobre ressignificar fatos que geravam emoções desagradáveis. É sobre não ter mágoa de ninguém. Então, por que a religião não permitiria um processo que te ajudaria e te tornaria uma pessoa mais em paz consigo mesmo? Padres e pastores realizam a formação para ajudarem seus fiéis.

Farei algo contra minha vontade?

Não! Como citado, anteriormente, estará mais alerta. Então, não tem como fazer algo contra sua vontade. Na hipnose de palco, as pessoas querem passar (=querem aceitar) pelos processos sugeridos, por isso comem cebola e acham que é maçã.

Vou esquecer tudo?

Não, não esquecerá! É raro, mas pode ser que sua mente subconsciente possa querer te proteger e te faça esquecer dos fatos que trouxe durante a sessão. Então, o hipnoterapeuta dará a sugestão para se lembrar de tudo, de um modo que enxergue com outros olhos o que viu.

A definição de hipnose é: quando uma sugestão passa por um filtro, que chamamos de faculdade ou fator crítico, da mente consciente, e atinge o subconsciente.

Assista ao vídeo sobre o Modelo da Mente – de Gerald Kein – e entenda melhor como funciona a hipnoterapia.

Tratamentos

Depressão

Depressão

Ansiedade

Ansiedade

Fobias

Fobias

Compulsão Alimentar

Compulsão Alimentar

Tabagismo

Tabagismo

Doenças autoimunes

Doenças autoimunes

Quem sou eu?

Quando o pai morreu, a mãe estava grávida,de três meses, da Angela. A mãe se viu desesperada e desamparada - num primeiro momento - com mais duas filhas pequenas. A mãe fez de tudo para garantir uma boa educação, acreditando que exigir a perfeição e compará-la com os melhores, seria uma boa saída. A mãe não tinha muito tempo e dava atenção a outros sobrinhos menores. A falta do pai gerava uma carência. Isso tudo somado gerou um sentimento de rejeição, porque acreditava que nunca estava à altura de sua posição frente às situações, principalmente, quando algo dava errado. Assim, Angela Shimabukuro, por não se conhecer e não se aceitar acabou por ter momentos de muito estresse, desencadeando uma doença autoimune (alopecia areata), problemas com sono (leve narcolepsia) e bruxismo.

Angela é mestre em Química Orgânica e foi professora por 9 anos.

Já vinha buscando autoconhecimento e descobriu a hipnoterapia. Ficou deslumbrada com a capacidade da mente de se auto tratar, do mecanismo de funcionamento dessa ferramenta poderosa, que é a mente, e da maneira que é potencializada na hipnoterapia.

Formada pela OMNI Hypnosis Training Center. Ajuda pessoas com problemas emocionais, como ansiedade, sentimentos de rejeição e abandono, depressão, fobias, problemas alimentares, doenças autoimunes, a ressignificarem seus traumas e terem uma vida mais leve e plena. Atua na cidade de Campo Grande – MS, auxiliando as pessoas a transformarem suas vidas!

A OMNI Hypnosis Training Center é um instituto criado em 1979 na Flórida/EUA, por Geral Kein. Um dos maiores e mais antigos institutos de hipnoterapia do mundo, presente em 25 países e, no Brasil, desde 2015. É o melhor centro de treinamento de hipnoterapeutas do Brasil, com certificação ISO 9001.

Depoimentos

Com o início da hipnoterapia percebi uma melhora de modo geral na disposição corporal, (mesmo ainda fazendo uso de medicação para depressão) o levantar pela manhã já não se apresenta como um fardo. No entanto, o mais supreendente foi a melhora em lesões cutâneas que não cicatrizavam e somente 2 dias após a primeira sessão elas fecharam. Obrigada por mostrar o caminho para uma melhor qualidade de vida.

Tatiana

De uma pessoa tímida e fechada, cheia de medos, julgamentos que me bloqueavam de correr atrás dos meus sonhos até essa pessoa no palco. Obrigada @angelahipnoterapeuta, essa conquista é resultado da competência do seu trabalho.

E. N. T.

A Dhébora passou pelo processo de hipnoterapia porque a ansiedade já estava num nível que atrapalhava sua vida, seu sono, suas atividades e seu ânimo para cumpri-las. Chegou a ter crise de ansiedade e parou no pronto socorro. Assim, ela procurou a hipnoterapia para ajudá-la em todos esses processos e também começou a busca por seu autoconhecimento.

Dhébora